terça-feira, 22 de abril de 2014

Salgueiro joga no Arruda por calendário 2015 recheado

O duelo vale muito para o Salgueiro (Foto: Divulgação)
Ter o ano todo com jogos é o sonho de qualquer clube, até porque isso gera receita e as condições para se manter tudo em dia são melhoradas. É com esse objetivo que o Salgueiro entra em campo nesta terça-feira, às 20h, no Arruda para enfrentar o Santa Cruz. Está em jogo o terceiro lugar no Campeonato Pernambucano e consequentemente as vagas na Copa do Nordeste e Copa do Brasil em 2015.
 
Para isso o Carcará que empatou no jogo de ida por 1 a 1 no Cornélio de Barros, vai precisar vencer os corais na capital pernambucana. Um novo empate leva a decisão para os pênaltis.
 
O Salgueiro chegou completo e sem desfalques para o jogo contra o Santa Cruz. Quem vai comandar o time é o técnico Fernando Alcântara, que chegou a Salgueiro no sábado passado e realizou treinamentos anteontem e ontem antes da viagem para o Recife.
 
Ele substituiu Cícero Monteiro, que pediu demissão na semana passada. O novo treinador informou que só vai confirmar o time minutos antes da partida, mas deve manter a base do primeiro jogo contra o tricolor.
 
SANTA CRUZ
Na tarde  da última segunda-feira (21), a diretoria do clube anunciou a contratação de Sérgio Guedes, que deve estar no Arruda para assistir à partida. Ataíde Macedo comanda a equipe interinamente.
 
Com pouco tempo para trabalhar, restou a Ataíde conversar com o elenco coral. A missão é levantar o ânimo do grupo. E o comandante não vai fazer muitas mudanças da equipe que empatou com o ABC. Carlos Alberto voltou de São Paulo, mas não foi relacionado para o jogo. A novidade é a volta de Léo Gamalho, que não participou da estreia do Santa por que cumpria suspensão imposta pelo STJD. Assim, Betinho fica no banco de reservas.
 
 
Ficha do jogo
 
Santa Cruz: Tiago Cardoso, Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Zeca; Sandro Manoel, Sorriso, Memo e Jefferson Maranhão; Caça-Rato e Léo Gamalho. Técnico: Ataíde Macedo (interino).
 
Salgueiro: Luciano, Sidny, Alemão, Ranieri e Peri; Pio, Morelândia, Valdeir e Anderson Paraíba; Kanu e Everton. Fernando Alcântara.
 
Árbitro: Gilberto Castro Júnior. Assistentes: Albino de Andrade e Ricardo Bezerra. Ingressos: R$ 15 (arquibancada superior, estudantes e sócios) e R$ 30 (arquibancada inferior e visitantes).
 

Com informações de Marcelo Cavalcante

segunda-feira, 21 de abril de 2014

GOLS: Santos 1 X 1 Sport


GOLS: Bragantino 2 X 2 Náutico


GOLS: Santa Cruz 1 X 1 ABC


Fernando Alcântara é o novo técnico do Salgueiro para a temporada

Fernando Alcântara é o novo técnico do Salgueiro (Foto: Fernando Alcântara/ Arquivo Pessoal)
Após mistério do diretor de futebol do Salgueiro, Carlos José, o nome que vai comandar a equipe no decorrer da temporada foi revelado na tarde deste sábado. Fernando Alcântara é paulistano, formado em Educação Física e técnico de futebol, já atua como treinador desde 1994 quando começou sua carreira no Nacional/Euroexport de São Paulo quando comandou as equipes sub-20, sub-15 e sub-13.
 
No Brasil teve passagens como técnico na Portuguesa de Desportos e Figueirense. Durante anos foi auxiliar técnico de Mário Sérgio com passagens pelo Figueirense e pelo Botafogo em 2007 e Atlético PR em 2008. Fora do Brasil seu último trabalho foi como auxiliar técnico, de 2012 a 2013, no Gamba Osaka, time que joga na 1ª divisão no Japão. 
 
O novo técnico será apresentado aos jogadores do Carcará neste domingo (20) e já comandará o primeiro treino da manhã. O próximo jogo do Salgueiro é no dia 22 de abril, terça-feira, contra o Santa Cruz no jogo de volta pela disputa do terceiro lugar do Pernambucano. Em caso de empate no Arruda o Carcará terá que encarar a disputa por pênaltis mais uma vez. 
 
- As expectativas são as melhores, embora o tempo não seja o mais adequado para fazer um trabalho para montar equipe e montar o padrão de jogo. Vejo como uma situação atípica, mas encaro como normal e é assim que eu vou para o próximo jogo, que é muito importante, contra o Santa Cruz, porque vale vaga para a Copa do Nordeste e também para a Copa do Brasil – comenta Fernando Alcântara, pela primeira vez, como técnico do Salgueiro.
 
 
Por Magda Lomeu

Treinadores entregam cargo e geram coincidência no confronto entre Salgueiro e Santa Cruz

Monteiro não é mais o técnico do Salgueiro (Foto: Divulgação)
O Salgueiro já se encontra na capital pernambucana para decidir o terceiro lugar do Campeonato Pernambucano. As vagas na Copa do Brasil e Copa do Nordeste para 2015, estarão em jogo contra o Santa Cruz no Arruda, na próxima terça-feira às 20h30. A coincidência que pode ser destacada é a mudança no comando técnico de ambas as equipes.

No Carcará Cícero Monteiro entregou o cargo após discutir com o presidente do clube Clebel Cordeiro. O desentendimento aconteceu no vestiário logo depois do jogo de ida contra o Santa Cruz, na ultima quarta-feira (16) no Cornélio de Barros, quando os dois times empataram por 1 a 1. Na quinta-feira, Monteiro reuniu a imprensa e comunicou que não continuaria no comando da equipe.

Passados dois dias, no sábado, foi a vez de Vica falar que não iria permanecer. O Santa estreou na Série B do Brasileiro empatando em casa com o ABC-RN, 1 a 1, e os corais perderam também o seu treinador. Com essa semelhança, os dois tricolores entram em campo para garantirem um calendário completo na temporada do próximo ano.

domingo, 20 de abril de 2014

Sport melhora no segundo tempo mas gol duvidoso do Santos tira a vitória

Um gol duvidoso de Gabriel tirou do Sport a chance de estrear com vitória na Série A do Campeonato Brasileiro. Depois de um primeiro tempo em que foi totalmente dominado, os rubro-negros entenderam o recado e voltaram para a etapa final mais ligados. Agora, as atenções estão voltadas para o Campeonato Pernambucano, competição que os leoninos decidem com o Náutico na próxima quarta-feira (23), na Arena Pernambuco.
 
O Sport sofreu o que fez a maioria de seus adversários sofrerem na Copa do Nordeste e Campeonato Pernambucano. O Santos adiantou a marcação e anulou o setor de criação pernambucano. Renan Oliveira, que deveria ser o principal articulador, só tocou na bola durante os dez primeiros minutos para bater falta. No setor de Ewerton Páscoa e Rodrigo Mancha começava a caçada dos santistas.
Essa pressão rendeu duas grandes chances em sequência para os donos da casa. Aos quatro minutos, Geuvânio arriscou de fora da área e a bola passou raspando a trave esquerda de Magrão. No minuto seguinte, a mesma trave recebeu uma tremenda bomba de Cicinho. O lateral arrancou pelo meio e estava atento numa bola cortada por Durval. Livre, carimbou o poste.
 
O time da Ilha do Retiro limitava-se apenas a marcar, mas viu que na Série A vai ser complicado. Com muita movimentação de Geuvânio, Cicinho e Leandro Damião, o Santos conseguia confundir a marcação leonina e Geuvânio, que estava com boa pontaria para o lugar mais difícil, acertou a trave direita aos 15 minutos. Dois minutos depois foi a vez de o volante Gabriel aparecer como elemento surpresa e chutar fraco, o suficiente para Magrão defender.
 
O primeiro tempo serviu para dar um choque de realidade no Sport. O ritmo de jogo imposto pelo Santos é bem mais veloz do que qualquer equipe que os rubro-negros enfrentaram até a semana passada, seja no Pernambucano ou no Nordestão. Essa velocidade constata-se não só com a bola nos pés, mas também na disposição para retomá-la. E jogadores como Renan Oliveira, Wendel, Felipe Azevedo e Neto Baiano pareciam estar numa rotação mais lenta e, por isso, foram facilmente anulados.
 
O bombardeio do Santos também teve a bola parada. Aos 33, Cícero bateu falta e Magrão voou para fazer grande defesa. O mesmo Cícero, um minuto antes, perdeu a bola na saída do jogo, mas Neto Baiano chutou fraco, fácil para a defesa de Aranha.
 
Os dois times voltaram para o segundo tempo sem alterações e o Santos perdeu aqueles gols chamados de feitos aos três minutos. Cícero fez um lançamento longo. Ferron furou e Thiago Ribeiro ficou com a bola esperando a aproximação de Magrão. Quando ela aconteceu, ele deu um toque curto para o lado, onde estava Leandro Damião. Este também tocou curto, mas errou o gol aberto e mandou para fora.
 
O Sport só mostrou que o choque tomado no primeiro tempo fez efeito aos 18 minutos. Patric inverteu bem o jogo e encontrou Renê sozinho entrando pela esquerda. Ele chutou forte e Aranha defendeu parcialmente e conseguiu segurar na segunda uma fração de segundo antes da chegada de Neto Baiano. Na segunda tentativa, o Leão já tinha Rithely e Ananias nos lugares de Ewerton Páscoa e Wendel. O Sport ganhou em mobilidade sem ficar desorganizado, por isso, passou a chegar mais no campo defensivo do oponente
 
Aos 23, Renê cruzou novamente e desta vez Neto Baiano ajeitou para Patric chutar completamente torto. Desta vez jogando futebol, procurando competir, o time pernambucano conseguiu seu gol aos 27. Felipe Azevedo entrou pela direita e cruzou rasteiro. Encontrou Neto Baiano livre na linha frontal de pequena área. Ele só teve o trabalho de empurrar para o gol.
 
Meio que no desespero, até porque já desperdiçara gols de todas as formas, o Santos partiu para tentar a igualdade. E conseguiu de forma bastante contestada pelos leoninos aos 34. Geuvânio chutou de longe e Gabriel, em posição bastante duvidosa, desviou de cabeça para o gol. Mesmo depois de muita chiadeira dos rubro-negros, consulta ao assistente, o gol foi validado.
 
Nos minutos finais o Santos tentou pressionar de qualquer jeito, inclusive pediram um pênalti num cruzamento de Mena que bateu no braço esquerdo de Ferron. Mas o Sport estava mais organizado e não só se defendeu bem como conseguiu manter a posse de bola o suficiente para evitar um bombardeio.
 
 
Ficha do jogo:
 
Santos: Aranha; Cicinho, Neto (Jubal), David Braz e Mena; Arouca (Alan Santos), Gabriel, Cícero e Geuvânio; Thiago Ribeiro (Lucas Lima) e Leandro Damião. Técnico: Oswaldo de Oliveira.
 
Sport: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa (Rithely), Wendel (Ananias) e Renan Oliveira (Augusto); Felipe Azevedo e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.
 
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP). Árbitro: Arílson Bispo da Anunciação (BA). Assistentes: Rodrigo Pereira Joia e Silbert Faria Sisquim (ambos do RJ). Gols: Neto Baiano, aos 27; e Gabriel, aos 34 do segundo tempo. Cartões amarelos: Jubal, Ferron e Rodrigo Mancha.
 
 
Por Wladmir Paulino

Leão volta a Série A na Vila contra o Peixe

O primeiro desafio do Sport será contra os meninos da Vila, que ficaram com o vice-campeonato paulista e esperam esquecer a perda do título. Já o Leão está pensando ainda na decisão do Pernambucano, contra o Náutico na próxima quarta. A bola vai rolar em Santos neste domingo às 19h30 na Vila Belmiro. 
 
De olho no Náutico, o técnico do Sport, Eduardo Baptista, estuda poupar alguns jogadores para a partida contra o Santos. A única certeza é que o meia Ailton, com dores musculares, será preservado e dará o lugar para Renan Oliveira. O intuito do comandante é contar com o jogador por inteiro na decisão do Pernambucano.

Além de Ailton, quem também poderá ser poupado é o volante Wendel. O jogador está desgastado e tem grande chances de não entrar em campo contra o Santos. Caso não jogue, o treinador deve optar pelo lateral-esquerdo Danilo. Ananias, ex-Palmeiras, segue na briga por um lugar estre os titulares.
Ananais, normalmente atua como antacante, e daria uma postura mais ofensiva para o Sport. Porém, como o adversário é o Santos, o treinador deverá optar por montar um time mais defensivo. Por isso, Danilo larga na frente na briga contra o ex-palmeirense.
 
SANTOS
O técnico Oswaldo de Oliveira confirmou nesta sexta-feira que Leandro Damião e Cícero serão titulares na estreia do Santos no Brasileirão, contra o Sport. Atacante e meia eram dúvidas desde o início da semana e chegaram a desfalcar a equipe no duelo contra o Mixto, quarta-feira, pela Copa do Brasil.
 
 
Ficha do jogo:
 
Santos: Aranha; Cicinho, Neto, David Braz e Mena; Arouca, Cícero e Gabriel (Alan Santos); Geuvânio, Thiago Ribeiro e Leandro Damião. Técnico: Oswaldo de Oliveira
 
Sport: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Renan Oliveira e Danilo (Ananias); Felipe Azevedo e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista
 
Local: Vila Belmiro. Horário: 19h30. Árbitro: Arilson Bispo da Anunciacao (BA). Assistentes: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ).
 
 
Com informações da AFI

sábado, 19 de abril de 2014

Empate com o ABC, no Arruda, derruba Vica do comando do Santa

Vica pediu para deixar o Santa Cruz (Foto: GloboEsportes.com)
O técnico Vica não resistiu ao empate contra o ABC, neste sábado, na estreia de Série B do Campeonato Brasileiro, e está fora do comando do Santa Cruz. O treinador foi muito vaiado pela torcida no Arruda desde antes de a bola rolar e a pressão aumentou ainda mais depois do gol sofrido assinalado pelo seu desafeto Dênis Marques. A relação já não vinha bem desde as duas eliminações que a equipe sofreu para o Sport na Copa do Nordeste e no Campeonato Pernambucano.
 
- Depois do jogo falei com os jogadores e com Ataíde (gerente de futebol) e pedi uma reunião com a diretoria. Comuniquei que o meu ciclo estava encerrado. Não foi pelo mau resultado de hoje. Mesmo com a vitória era uma posição que eu já tinha tomado.
 
Vica justificou sua decisão alegando que tinha perdido o apoio dos torcedores e que não teria tempo de recuperá-lo durante a Série B.
- O torcedor está se afastando e para que ele esteja junto eu teria que sair. Para reverter uma situação de duas eliminações na Copa do Nordeste e no Campeonato Pernambucano iria demorar muito tempo na série B.
 
O técnico Vica fez questão de deixar claro que não está deixando o Santa Cruz apenas pela pressão que vem recebendo dos torcedores. Segundo ele, a decisão foi tomada muito mais pela pressão que vem sendo feita nos jogadores.
 
- Podem ter certeza que não saio só pela cobrança na minha pessoa. Se fosse só em mim seria diferente, mas senti que estava invadindo o campo. Essa decisão pode fazer bem para que o torcedor volte a incentivar.
 
Contratado pelo Santa Cruz no final do mês de agosto do ano passado, Vica conseguiu arrumar a casa na Série C do Campeonato Brasileiro e no final do ano acabou sendo premiado com o acesso e com o título da competição. Durante o período em que esteve no clube, ele comandou o time em 40 jogos, acumulando 21 vitórias, 11 empates e oito derrotas.
 
Além de Vica, o seu auxiliar Ruben Furtenbach também deixa o Santa Cruz. O presidente Antônio Luiz Neto disse que ainda não definiu quem assume o comando interinamente até a chegada do novo treinador.
 
- Estamos em reunião neste momento e sai apenas para dar uma satisfação para o nosso torcedor. Estamos analisando quem vai comandar a equipe nos próximos dias e ao mesmo tempo fazendo um estudo de quem são os treinadores que vamos convidar, disse o presidente do clube.
 
Sobre o tempo para a contratação de um novo treinador, Antônio Luiz Neto garantiu que o clube vai trabalhar no tempo certo. Nem com muita calma e nem com muita pressa.
 
- A gente vai ter a pressa possível e a calma necessária. Os treinadores existem, mas temos que formular uma lista de profissionais que se encaixem no projeto do Santa Cruz.
 
 
Por Lucas Liausu

Santa Cruz joga mal e fica no empate em 1×1 contra o ABC

Betinho (à direita) marcou o gol do Santa Cruz, no primeiro tempo. No segundo, o time levou o gol de empate e não teve como reagir/Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
O Santa Cruz não teve uma estreia na Série B como a sua torcida queria. Jogando um futebol de pouca inspiração, a equipe do técnico Vica não saiu de um empate em 1×1 diante do ABC-RN, no estádio do Arruda. Insatisfeita com a sequência de maus resultados, a torcida coral vaiu a equipe e o comandante tricolor. Como se não bastasse, a torcida ainda viu o ídolo Dênis Marques, que agora defende as cores do time potiguar, balançar as redes do goleiro Tiago Cardoso. O gol coral foi marcado por Betinho.
 
Ser eliminado nas semifinais do Pernambucano pelo rival Sport e começar a Série B sem vencer em casa aumenta a pressão sobre o técnico Vica. Para mudar a situação, o Santa Cruz precisa vencer o Salgueiro na próxima terça-feira para conquistar a terceira colocação do Estadual e, consequentemente, a vaga no Nordestão 2015. O próximo compromisso pela competição nacional é diante da Portuguesa, em São Paulo, no próximo sábado. Isso se a Lusa entrar em campo, já que a diretoria do clube paulista declarou que só volta a jogar a Série B depois que o imbróglio jurídico for resolvido.
 
 
Ficha do jogo
Tiago Cardoso, Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Zeca; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Raul (Renatinho) e Raniel (Jéferson Maranhão); Caça-Rato (Pingo) e Betinho. Técnico: Vica.
 
ABC – Gilvan, Patrick, Samuel, Suelinton e Luciano Amaral; Michel, Somália, Daniel Amora e Otávio (João Henrique); Lúcio Flávio (Liel) e Dênis Marques (Beto). Técnico: Zé Teodoro.
 
Local: Estadio do Arruda. Árbitro: Grazianni Maciel (RJ). Assistentes: Rondinelle dos Santos e Lennon Maccartney (AL). Gols: Betinho, aos 20 minutos do primeiro tempo, e Dênis Marques, aos 8 do segundo. Cartões amarelo: Sorriso, Suelinton, Somália e Liel. Público: 10.024. Renda: R$ 138.420,00.
 
 
Por Marcelo Cavalcante